Inter vence Gre-Nal em Curitiba, entra no G-6 e afunda Grêmio no Z-4 do Brasileirão

No primeiro Gre-Nal fora do Rio Grande do Sul pelo Brasileirão, a celebração foi de 2 mil colorados. Em um ambiente majoritariamente tricolor, no Couto Pereira, o Inter venceu por 1 a 0, gol de Vitão. Com o resultado, o time de Coudet subiu para 17 pontos, entrou no G-6 e agravou a crise na equipe de Renato, que só tem seis pontos e está afundada no Z-4.


Gremistas e colorados chegaram sem problemas ao Couto Pereira. Nos Altos da Glória, bairro residencial e comercial da capital paranaense, o estádio não necessita de tanto aparato de segurança a torcedores que não fazem parte de organizadas. Logo, o pré-jogo foi tranquilo.


Renato escalou um time modificado e celebrado. No sexto jogo, desistiu de começar com JP Galvão e colocou Galdino no ataque. Na defesa, Kannemann não se recuperou a tempo das dores musculares e deu lugar a Gustavo Martins, que formou dupla com Geromel. Cristaldo voltou ao meio, com Carballo substituindo o suspenso Pepê.


Coudet repetiu a ideia do meio da semana, mas com um acréscimo prévio fundamental. Alan Patrick se recuperou do estiramento muscular sofrido há nove dias e reassumiu seu lugar na equipe. O técnico manteve dois pontas de origem, Wesley e Wanderson, Bruno Henrique centralizado. A mudança foi escalar Thiago Maia de volante, com Fernando e Vitão na zaga.


O Gre-Nal começou peleado como se fosse em Porto Alegre. O Grêmio subiu a marcação e colocou Fabrício em apuros ao dominar mal um passe. O Inter respondeu com a primeira finalização. Aos seis, Wesley entortou Reinaldo e rolou para trás, Renê apareceu e bateu, mas fora. No lance seguinte, Pavón driblou Renê e chutou, também com desvio, para fora.


O Inter voltou a chutar aos 15. Alan Patrick teve espaço na intermediária, encontrou Bustos, que bateu, para fora. Uma novidade no Gre-Nal distante foi que levou 21 minutos para sair a primeira falta: Bustos deu um carrinho no campo de ataque, em Gustavinho que o desarmara.


A segunda falta, aos 26, de Geromel, virou cartão amarelo ao capitão gremista. Cartão para um lado, cartão para o outro. Fernando derrubou Pavón e foi advertido. O primeiro tempo terminou sem chances claras. E os goleiros passaram 46 minutos sem precisar defender.


Vitão decide o clássico de Curitiba

Apesar da falta de oportunidades, os dois técnicos optaram por não mexer nos times no intervalo. Após seis minutos, 52 no total, chegou a primeira chance claríssima. O Inter se atrapalhou na saída de bola, o Grêmio recuperou, Cristaldo brigou pela bola e deixou para João Pedro. Cara a cara com Fabrício, o lateral bateu, e o goleiro colorado salvou com o pé.

O Grêmio voltou melhor do vestiário. Teve duas chegadas em contragolpes em que a falta de capricho do último passe impossibilitou finalizações melhores. Assim, não foi surpresa que Coudet fez duas substituições aos 12 minutos. Aránguiz entrou no lugar de Bruno Henrique e Lucca ingressou na vaga de Alario.


Lucca ficou quatro minutos em campo. Ao dividir de cabeça um cruzamento da direita, cortou o supercílio. Não pôde mais ficar em campo, entrou Gustavo Prado. Desse lance, saiu um escanteio. Alan cobrou aos 18 minutos, a defesa afastou e voltou para o camisa 10, que entortou Carballo, entrou na área e cruzou. Marchesín cortou com o pé, a bola subiu e Vitão se impôs sobre Geromel, cabeceou, a bola desviou em Gustavo Martins: Inter 1 a 0.


Logo depois do gol, torcedores do Inter acenderam sinalizadores. Os artefatos foram arremessados atrás do gol, antes de entrar no gramado, mas o árbitro paralisou a partida. Foram dois minutos de pausa. Nesse período, Renato fez duas trocas: saíram Pavón e Carballo, entraram Edenilson e Nathan Fernandes.


Na volta, Alan Patrick quase fez o segundo. Ele recebeu na intermediária e bateu por cobertura de Marchesín, que apenas torceu. A bola foi por cima.


O Grêmio voltou a levar perigo aos 25. Gustavinho deixou Bustos para trás, entrou na área, mas bateu fraco, nas mãos de Fabrício. O Inter respondeu aos 26, Wesley avançou pela esquerda, chutou, Marchesín espalmou e Gustavo Prado chegou desequilibrado para o rebote.


Aos 32, Coudet mexeu mais duas vezes: fora Wanderson e Alan Patrick, dentro Mercado e Igor Gomes. Renato, aos 37, tirou João Pedro e colocou Fábio. E, sob vaias, mandou a campo JP Galvão, no lugar de Galdino. Três minutos depois, a troca foi Dodi por Rodrigo Ely.


Rodrigo Ely entrou de atacante, formando dupla com JP. Mas foi o Inter quem esteve perto de liquidar. Em dois lances nos acréscimos, carimbou a trave de Marchesín, uma com Wesley, outra com Aránguiz. Mas os lances não fizeram falta.


A comemoração foi colorada no Gre-Nal de Curitiba.






gzh

Todos os Direitos Reservados Rádio Cachoeira
Desenvolvido por Rafael Bordignon
Hospedado por Three Tecnologia

Logo Cachoeira

Compartilhe

×